quinta-feira, 22 de setembro de 2011

De molho

Já referi aqui no site que a L. usou muita roupinha emprestada, principalmente nos primeiros meses, que é quando os bebés crescem tão rápido que deixam a roupa nova. E também herdou lençóis, mantinhas, etc... Aqueles "acessórios" grandes também foram quase todos emprestados, como o berço, o ovo, a espreguiçadeira, a banheira... E felizmente quase tudo aquilo onde ela já não cabe já voltou para a proveniência! (é que a nossa casinha não tem nem garagem nem arrecadação...) 

Até parece que não lhe comprámos nada, coitada! Se ler isto quando for mais velha, a minha filhota vai achar que os pais foram uns desnaturados, o que não é o caso! :)

Mas se podemos emprestar uns aos outros, poupando dinheiro, optimizando os investimentos e resolvendo o enorme problema que vem a seguir, que é o armazenamento destas coisas todas,  que de pequenas não têm nada, porque não fazê-lo?



Outro exemplo que pode passar literalmente "de mão em mão" são alguns brinquedos. A L. já herdou alguns, como é o caso dos Lego duplo da fotografia que, salvo err,o começaram no padrinho dela! É até engraçado pensar nisto!

Em todas estas peças, o importante é lavar/desinfectar bem antes de cada bebé utilizar e depois, antes de devolvermos a quem nos emprestou.

2 comentários:

Ana (A mamã é só minha) disse...

Eu tive a mesma sorte. Comprei pouca coisa. E dou e empresto o que não preciso, pois considero um desperdício comprar coisas que duram tão pouco tempo.
Beijinhos e bom fim-de-semana :)

Kyla disse...

Também usei e uso coisas emprestadas/dadas para a minha filha.
A nível de brinquedos, por exemplo, tenho uma colecção que foi minha que se chama: "As Histórias do Avôzinho" (ela pede-a muitas vezes), tenho também uma bola para encaixar pecinhas da Tupperware que tem cerca de 35 anos, foi do meu irmão e depois passou para mim e agora para a minha filha! A tupperware ainda a vende e não é lá muito barata (25€), mas como se pode constatar, dura mais de 30 anos (e com maus tratos) :P